Neste ano foram defendidas 8 teses.

Útlima atualização 15/0102/2021

 

Sabrina Lopes dos Santos

Título:Relações e Causa e o Uso dos Conectivos Porque e Já Que: Contribuições da Psicolinguística para a Educação/

Orientador: Marcus Antonio Rezende Maia Coorientadora: Professora Doutora Daniela Cid de Garcia Páginas: 273


RESUMO

Esta tese investigou o papel dos conectivos em sentenças que estabelecem relações causais entre orações de uma dada sentença, analisando mecanismos cognitivos da leitura ao comparar dois grupos com diferentes níveis de formação escolar, a saber, Ensino Fundamental (EF) e Ensino Superior (ES). Investiga-se também possíveis diferenças de processamento associados ao tipo de relação de causa (direta ou indireta) e ao tipo de conectivo (já que e porque) utilizado para relacionar as orações. Esta pesquisa se insere em um empreendimento que busca construir um diálogo entre a Psicolinguística e a Educação Básica, fornecendo dados experimentais que possam vir a contribuir para o desenvolvimento de materiais e de práticas pedagógicas de ensino-aprendizagem da leitura. Investigamos o processamento de sentenças, verificando o impacto do uso dos conectivos porque e já que no estabelecimento dessas relações. Comparamos as seguintes relações causais: causa direta, como em (1), e causa indireta, como em (2): (1) A aluna recebeu os parabéns porque/já que obteve sucesso no exame do ENEM; A aluna escreve textos bons porque/já que obteve sucesso no exame do ENEM. Em (1), a relação de causa é estabelecida a partir dos significados representados explicitamente pelos constituintes das orações; em (2), por outro lado, a relação causal depende da geração de processo inferencial a partir de informações implícitas, relacionadas ao discurso e/ou à situação pragmática de enunciação. Como veremos, a teoria gramatical aponta distinções sobre esses diferentes tipos de causa. Esta tese pretende por meio de metodologia experimental responder as seguintes perguntas: i) o uso dos conectivos porque e já que se relaciona com o tipo de relação causal ou esses itens são inteiramente intercambiáveis?; ii) As diferenças entre relações de causa direta e indireta podem refletir no custo de processamento? iii) quais propriedades da arquitetura gramatical podem atuar sobre possíveis diferenças de processamento?; iv) como estudantes de EF em oposição ao ES processam sentenças com tipos de relações causais distintos, considerando-se os subprocessos cognitivos de leitura? Por meio de metodologia experimental, realizamos julgamento de escolha de forçada, em que se avaliou a preferência de uso dos conectivos (já que ou porque), e rastreamento ocular, em que se avaliou o processamento das relações causais e a influência dos conectivos no processamento dessas relações. As hipóteses entretidas foram as de que há preferência de uso dos conectivos se associa ao tipo de relação causal que se estabelece entre as orações e que essa diferenciação, na modalidade escrita do português brasileiro, está relacionada ao desenvolvimento da competência leitora e, ainda, que, as orações causais indiretas seriam mais difíceis de serem processadas por dependerem de processos inferenciais no nível do discurso.

Palavras-chave: Relações Causais; Conectivos; Inferência; Psicolinguística; Educação.


ABSTRACT

This thesis investigated the role of connectors in sentences that establish causal relationships between sentences in a given sentence, analyzing cognitive mechanisms of reading when comparing two groups with different levels of school education, namely, Elementary Education (EF) and Higher Education (ES). It also investigates possible processing differences associated with the type of cause relationship (direct or indirect) and the type of connective (já que and porque) used to relate the sentences. This research is part of an undertaking that seeks to build a dialogue between Psycholinguistics and Basic Education, providing experimental data that may contribute to the development of teaching materials and teaching practices of reading. We investigated the processing of sentences, verifying the impact of the use of connectors because and since in the establishment of these relationships. We compared the following causal relationships: direct cause, as in (1), and indirect cause, as in (2): (1) A aluna recebeu os parabéns porque/já que obteve sucesso no exame do ENEM; A aluna escreve textos bons porque/já que obteve sucesso no exame do ENEM. In (1), the causal relationship is established from the meanings explicitly represented by the constituents of the sentences; in (2), on the other hand, the causal relationship depends on the generation of the inferential process from implicit information, related to the speech and / or the pragmatic situation of enunciation. As we will see, grammatical theories point out distinctions about these different types of causes. This thesis intends, through an experimental methodology, to answer the following questions: i) the use of connectors because and since it is related to the type of causal relationship or are these items entirely interchangeable ?; ii) Can the differences between direct and indirect causal relationships be reflected in the processing cost? iii) what properties of grammatical architecture can act on possible differences in processing ?; iv) how PE students as opposed to ES process sentences with different types of causal relationships, considering the cognitive subprocesses of reading ?. Through an experimental methodology, we performed a forced-choice judgment, in which the preference for using the connectors was evaluated (já que or porque), and eye-tracking, in which the processing of causal relationships and the influence of the connectors in the processing was evaluated. of those relationships. The hypotheses that were entertained were that there is a preference for the use of connectors if it is associated with the type of causal relationship that is established between the sentences and that this differentiation, in the written form of Brazilian Portuguese, is related to the development of reading competence and, that, indirect causal clauses would be more difficult to process because they depend on inferential processes at the discourse level.

Keywords: Causals relations; Connectives; Inference; Psycholinguistics; Education.


Agências de Fomento